Envelhecimento precoce da pele: Causas e Tratamentos

Na semana passada falei aqui no Blog sobre as manchas na pele, que um fator que incomoda muito as mulheres. Na pesquisa que fiz na Fanpage, em segundo lugar ficou o envelhecimento precoce, então não poderia deixar de falar sobre esse assunto também.

Vitamina D não é uma vitamina?!

Como sabemos, a vitamina D é responsável por regular a absorção de cálcio e fósforo no organismo, sendo assim ela fortifica ossos, dentes e músculos, além de ser essencial para manter o bom funcionamento do cérebro. Essa vitamina previne doenças como obesidade e diabetes, e controla 270 genes, inclusive células do sistema cardiovascular. Mas, você sabia que a vitamina D não é uma vitamina?!


Fique por Dentro: "A vitamina D foi denominada dessa forma em 1922, pois naquela época acreditava-se que ela só poderia ser obtida por intermédio da alimentação. Ela foi batizada de D por ter sido a quarta substância descoberta, depois da vitamina A, B e C. A partir da década de 1970 os pesquisadores descobriram que a vitamina D poderia ser sintetizada pelo organismo, ou seja, ela não é uma vitamina..."

"...vitaminas são substâncias necessárias para o desenvolvimento do organismo obtidas através da alimentação, pois o organismo não consegue produzir em quantidades suficientes. Por esta definição o nome Vitamina D não está correto, pois estima-se que 80% da vitamina D circulante no ser humano seja produzida na pele, a partir da luz do Sol..."

"Segundo artigo publicado na revista Nature, a Vitamina D é um pró-hormônio. Ela não é um hormônio, pois não funciona sozinha. Ainda é necessário sofrer ação de uma enzima chamada 25 (OH)D-1-OHase a se converter em 1-25-dihydroxivitamina D –esta, sim, um potente hormônio esteroide, também conhecido como calcitriol."

A vitamina D no organismo tem a função de:
  1. Aumentar a absorção do cálcio e do fósforo no intestino;
  2. Fortalecer ossos e dentes;
  3. Prevenir doenças como obesidade, diabetes, hipertensão e esclerose múltipla;
  4. Aumentar a produção de músculos;
  5. Melhorar o equilíbrio;
  6. Melhorar a saúde cardiovascular;
  7. Prevenir alguns tipos de câncer, como os de cólon, de reto e da mama;
  8. Prevenir o envelhecimento precoce.

Onde podemos encontrar?

Encontramos a vitamina D em alimentos como peixes, frutos do mar, óleo de fígado de bacalhau, gema de ovo, no leite e em seus derivados.

Outra fonte natural dessa vitamina é produzida na pele através da exposição solar. Então para produzir quantidades adequadas de vitamina D, quem tem a pele clara recomenda-se ficar exposto pelo menos 15 minutos por dia, sem protetor solar. Já pessoas de pele morena e negra precisam de 45 minutos a 1 hora de exposição solar diária, pois quanto mais escura a pele, mais difícil é a produção dessa vitamina.

O melhor horário de exposição ao sol é quando a sombra do corpo é menor do que a própria altura, ou seja, depois das 10 h da manhã e antes das 16:30 h da tarde, mas vale lembrar que a exposição deve ser curta, somente o tempo recomendado consoante o seu tom de pele. Os banhos de sol devem ser feitos ao ar livre, sem barreiras como vidros do carro, por exemplo. Segundo especialistas, não é  preciso ir à praia todos os dias, uma simples atividade como uma caminhada até o ponto de ônibus já é suficiente.

Mais uma opção de vitamina D são as que encontramos na forma de suplementos em cápsulas ou gotas, mas recomenda-se o uso apenas em casos de deficiência dessa vitamina.


Alguns sintomas de deficiência são:
  • Diminuição do cálcio e do fósforo no sangue;
  • Dor e fraqueza muscular;
  • Enfraquecimento dos ossos;
  • Osteoporose nos idosos;
  • Raquitismo nas crianças;
  • Osteomalácea.
Algumas doenças também podem prejudicar a absorção e a produção da vitamina D, como: insuficiência renal, lúpus, doenças de Chron e doença celíaca.

Mas não pense que só acontece a deficiência dessa vitamina, pode-se encontrar casos com excesso de vitamina D no organismo, isso ocasiona o enfraquecimento dos ossos e a elevação dos níveis de cálcio na corrente sanguínea, levando ao desenvolvimentos de pedras nos rins e arritmia cardíaca. Esse excesso só ocorre por causa do uso exagerado de suplementos de vitamina D.


Os principais sintomas do excesso dessa vitamina são:
  1. falta de apetite;
  2. náuseas;
  3. vômitos;
  4. aumento da frequência urinária;
  5. fraqueza;
  6. hipertensão arterial;
  7. sede;
  8. coceira na pele;
  9. nervosismo.

Como sei que estou com deficiência ou excesso de vitamina D?

O diagnóstico é feito através do exame de sangue solicitado pelo seu médico, então para evitar o desequilíbrio ou sair por aí tomando qualquer suplemento, marque uma consulta e faça o exame.


Agora me diz, você já sabia que a vitamina D não era uma vitamina? Ou ficou sabendo através desse post junto comigo?

Se essas informações te ajudaram de alguma forma, compartilhe!

Até a próxima!


Fonte:



RENATA NICOLAU - 42 anos, mãe, formada em educação física e estética. Apaixonada por cosméticos e tudo relacionado à beleza. Ama aprender, ensinar e compartilhar conhecimentos. Está em busca um estilo de vida saudável, minimalista e com equilíbrio. Sua mais recente paixão é a meditação e o estudo sobre o subconsciente.




COMPARTILHE