Banha de porco e seus benefícios

Antigamente a banha de porco era muito utilizada para preparar os alimentos pois além de ser de fácil acesso, seu custo era bem menor do que os óleos vegetais. Com o passar do tempo, mitos foram espalhados dizendo que o melhor seria consumir os óleos vegetais e não a banha, dessa forma eles tiveram seus preços reduzidos e passaram a ser mais consumidos no mundo.

Síndrome de Burnout: Causa e sintomas desse transtorno laboral

Você já ouviu falar sobre a Síndrome de Burnout? Talvez pelo nome ela não seja tão conhecida, mas se eu te disser que ela é causada pelo esgotamento no trabalho e que essa síndrome só se aplica ao ambiente laboral, você deve saber do que se trata.


Burnout é uma palavra inglesa que se refere a algo que deixou de funcionar por exaustão de energia, tipo um curto-circuito.  Esse termo foi criado pelo psicanalista americano Herbert Freudenberger em 1974 para descrever o adoecimento que observou em seus colegas e em si próprio, mas a primeira pesquisa foi realizada por Cristina Maslach, em 1981.

Já em 1999, a Síndrome de Burnout foi definida pelo Ministério da Saúde como um transtorno mental e de comportamento, obrigatoriamente relacionado ao ambiente de trabalho. Ela está registrada no CID-10 (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde), um dos manuais de diagnósticos da medicina.

Segundo uma entrevista realizada com 20 mil pessoas, a Medscape Physician Lifestyle Report 2015 concluiu que 46% dos médicos dos EUA tem burnout. Em 2013, a taxa era de 40%. Percebeu-se que, as categorias mais atingidas são as que lidam com pessoas e se expõe ao sofrimento humano (enfermeiros, psicólogos, professores, policiais, bombeiros, carcereiros, oficiais de Justiça, assistentes sociais, atendentes de telemarketing, bancários, advogados, executivos, arquitetos e jornalistas), sendo as mulheres o alvo principal. "Num grupo de mil profissionais, 540 mulheres para 460 homens tem burnout. Elas são mais afetadas porque não se lembram de seguir a orientação das aeromoças… colocar em si mesmo a máscara de oxigênio antes de ajudar os outros", diz Sheryl Sandberg (diretora do Facebook) e Adam Grant (professor da Universidade da Pensilvânia) num artigo sobre mulher e trabalho, publicado no jornal The New York Times.

O que acontece é um cansaço absurdo e completamente sem energia. Todas as reservas estão esgotadas. A pessoa que antes era competente e atenciosa, liga o piloto automático. Troca-se a motivação pela irritação, atitudes negativas, isolamento, falta de concentração, desânimo, sensação de fracasso, mudanças bruscas de humor, irritabilidade, lapsos de memória, ansiedade, depressão, pessimismo, baixa autoestima... A síndrome acontece devido ao stress prolongado no trabalho, sendo assim o rendimento cai.

Segundo a psicóloga Ana Maria Rossi, "Quem tem burnout trabalha cinco horas a menos por semana", e enfrenta maior risco de erros e acidente de carro, por exemplo, devido à desatenção e imprudência. Além disso, lida com o questionamento de familiares e amigos que não entendem como uma pessoa pode chegar a tal ponto. "A tendência é darem conselhos para reagir, o que só piora o quadro", diz Cyro Masci. "Muito exigente consigo, o profissional vai tentar produzir mais, o que intensifica o cansaço e diminui a eficiência. É um ciclo vicioso."



Se não for tratado, esse transtorno pode causar úlceras, cardiopatias, diabetes, doenças autoimunes, crises de pânico, depressão e pode levar ao alcoolismo, drogas e até mesmo o suicídio. Então preste atenção aos sinais, e se perceber algo errado, procure um psicólogo ou psiquiatra. 

"O fundo do poço não se atinge de um dia para o outro. Se perceber que até mesmo as coisas mais prazerosas do dia a dia perderam o sentido e que ir ao trabalho se tornou suplício, converse com um profissional", diz Ana Benevides - psicóloga e autora do livro Burnout: Quando o trabalho ameaça o bem-estar do trabalhador.

É preciso ter momentos de prazer e de se desconectar

Ter um estilo de vida saudável, com alimentação balanceada, boas noites de sono, praticar exercícios físicos e de relaxamento, como yoga e meditação, ajudam muito. “Conviva com as pessoas que você ama, tenha um animal de estimação, mantenha o pensamento positivo e faça coisas para se divertir”, indica Ana Maria Rossi.

Desconecte-se das redes sociais sempre que possível e pare de checar emails com tanta frequência. Nem sempre conseguimos resolver as coisas no mesmo instante que elas acontecem. Se cobrar demais para que tudo esteja perfeito e estar disponível 24 horas por dia só nos faz mal.

Tratamento


Muitas vezes é confundida com depressão, mas ela é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde e pelas leis brasileiras como doença ocupacional. Dessa forma é permitido o afastamento para vencer a síndrome. Mas não adianta viver apenas de remédios, é importante desacelerar, diz Masci. Meditação e técnicas de relaxamento associadas ao tratamento combatem esse tipo de estresse. Sheryl Sandberg e Adam Grant enfatizam que, "as mulheres (e os homens) alcançam a melhor performance e experimentam menos burnout quando respeitam as próprias necessidades e limites".

Como fugir da Síndrome de Burnout?
  1. Esqueça o lema: "Meu nome é trabalho". Descubra seus hábitos de prazer e coloque em prática, ex: ir ao cinema, ler um livro, brincar com os pets...
  2. Faça uma avaliação sobre seu trabalho. O que te atraiu nesse emprego e o que te mantém nele? 
  3. Seja qual for a motivação, foque no lado positivo e não no negativo, embora muitas vezes o segundo apareça em maior número.
  4. Procure novas chances no mercado de trabalho, ou até mesmo em outro setor da empresa. Fazer o que você realmente gosta (ou que te provoque menos exaustão) pode ser a solução.
  5. Fique atento aos sinais emitidos pelo seu corpo. Muitas vezes a exaustão pode ser sintomas de outras doenças como anemias ou distúrbios da tireóide. Na dúvida, procure seu médico. Se for estresse, desacelere e faça uma coisa de cada vez.
  6. Alimente-se bem e com horários regulares, sem exagerar no álcool e na cafeína. Dormir o necessário fará você acordar reanimada.
  7. Pratique exercício físico pois ele ativa a circulação, estimula o metabolismo, energiza e ajuda a administrar o estresse.
  8. Conte com familiares e amigos.
"Seu trabalho é apenas um trabalho, você não pode depositar toda a sua vida nele", diz Rossi, e ela ainda complementa: "Tenha outras fontes de felicidade e você verá que será mais fácil tomar qualquer decisão, mesmo que seja pedir demissão e buscar outra oportunidade".


A saúde é o bem mais precioso que temos, e precisamos dela para realizar qualquer atividade do cotidiano. Então reconheça quando é hora de dar uma pausa, reavalie seu dia a dia, e faça o que realmente te dá prazer (isso inclui o trabalho também). Sei que nem sempre conseguimos trabalhar com o que realmente gostamos, mas quando isso for possível não perca a chance, assim o seu dia a dia irá se tornar mais leve e menos estressante.

Até a próxima!

Leia também:
Esgotamento Mental: Causas e Sintomas... Como lidar com essa situação?!

Fonte:
Viva Bem, Claudia, Drauzio
Imagem: Reprodução


RENATA NICOLAU - 42 anos, mãe, formada em educação física e estética. Apaixonada por cosméticos e tudo relacionado à beleza. Ama aprender, ensinar e compartilhar conhecimentos. Está em busca um estilo de vida saudável, minimalista e com equilíbrio. Sua mais recente paixão é a meditação e o estudo sobre o subconsciente.




COMPARTILHE