Envelhecimento precoce da pele: Causas e Tratamentos

Na semana passada falei aqui no Blog sobre as manchas na pele, que um fator que incomoda muito as mulheres. Na pesquisa que fiz na Fanpage, em segundo lugar ficou o envelhecimento precoce, então não poderia deixar de falar sobre esse assunto também.

Síndrome de Burnout: Causa e sintomas desse transtorno laboral

Você já ouviu falar sobre a Síndrome de Burnout? Talvez pelo nome ela não seja tão conhecida, mas se eu te disser que ela é causada pelo esgotamento no trabalho e que essa síndrome só se aplica ao ambiente laboral, você deve saber do que se trata.


Burnout é uma palavra inglesa que se refere a algo que deixou de funcionar por exaustão de energia, tipo um curto-circuito.  Esse termo foi criado pelo psicanalista americano Herbert Freudenberger em 1974 para descrever o adoecimento que observou em seus colegas e em si próprio, mas a primeira pesquisa foi realizada por Cristina Maslach, em 1981.

Já em 1999, a Síndrome de Burnout foi definida pelo Ministério da Saúde como um transtorno mental e de comportamento, obrigatoriamente relacionado ao ambiente de trabalho. Ela está registrada no CID-10 (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde), um dos manuais de diagnósticos da medicina.

Segundo uma entrevista realizada com 20 mil pessoas, a Medscape Physician Lifestyle Report 2015 concluiu que 46% dos médicos dos EUA tem burnout. Em 2013, a taxa era de 40%. Percebeu-se que, as categorias mais atingidas são as que lidam com pessoas e se expõe ao sofrimento humano (enfermeiros, psicólogos, professores, policiais, bombeiros, carcereiros, oficiais de Justiça, assistentes sociais, atendentes de telemarketing, bancários, advogados, executivos, arquitetos e jornalistas), sendo as mulheres o alvo principal. "Num grupo de mil profissionais, 540 mulheres para 460 homens tem burnout. Elas são mais afetadas porque não se lembram de seguir a orientação das aeromoças… colocar em si mesmo a máscara de oxigênio antes de ajudar os outros", diz Sheryl Sandberg (diretora do Facebook) e Adam Grant (professor da Universidade da Pensilvânia) num artigo sobre mulher e trabalho, publicado no jornal The New York Times.

O que acontece é um cansaço absurdo e completamente sem energia. Todas as reservas estão esgotadas. A pessoa que antes era competente e atenciosa, liga o piloto automático. Troca-se a motivação pela irritação, atitudes negativas, isolamento, falta de concentração, desânimo, sensação de fracasso, mudanças bruscas de humor, irritabilidade, lapsos de memória, ansiedade, depressão, pessimismo, baixa autoestima... A síndrome acontece devido ao stress prolongado no trabalho, sendo assim o rendimento cai.

Segundo a psicóloga Ana Maria Rossi, "Quem tem burnout trabalha cinco horas a menos por semana", e enfrenta maior risco de erros e acidente de carro, por exemplo, devido à desatenção e imprudência. Além disso, lida com o questionamento de familiares e amigos que não entendem como uma pessoa pode chegar a tal ponto. "A tendência é darem conselhos para reagir, o que só piora o quadro", diz Cyro Masci. "Muito exigente consigo, o profissional vai tentar produzir mais, o que intensifica o cansaço e diminui a eficiência. É um ciclo vicioso."



Se não for tratado, esse transtorno pode causar úlceras, cardiopatias, diabetes, doenças autoimunes, crises de pânico, depressão e pode levar ao alcoolismo, drogas e até mesmo o suicídio. Então preste atenção aos sinais, e se perceber algo errado, procure um psicólogo ou psiquiatra. 

"O fundo do poço não se atinge de um dia para o outro. Se perceber que até mesmo as coisas mais prazerosas do dia a dia perderam o sentido e que ir ao trabalho se tornou suplício, converse com um profissional", diz Ana Benevides - psicóloga e autora do livro Burnout: Quando o trabalho ameaça o bem-estar do trabalhador.

É preciso ter momentos de prazer e de se desconectar

Ter um estilo de vida saudável, com alimentação balanceada, boas noites de sono, praticar exercícios físicos e de relaxamento, como yoga e meditação, ajudam muito. “Conviva com as pessoas que você ama, tenha um animal de estimação, mantenha o pensamento positivo e faça coisas para se divertir”, indica Ana Maria Rossi.

Desconecte-se das redes sociais sempre que possível e pare de checar emails com tanta frequência. Nem sempre conseguimos resolver as coisas no mesmo instante que elas acontecem. Se cobrar demais para que tudo esteja perfeito e estar disponível 24 horas por dia só nos faz mal.

Tratamento


Muitas vezes é confundida com depressão, mas ela é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde e pelas leis brasileiras como doença ocupacional. Dessa forma é permitido o afastamento para vencer a síndrome. Mas não adianta viver apenas de remédios, é importante desacelerar, diz Masci. Meditação e técnicas de relaxamento associadas ao tratamento combatem esse tipo de estresse. Sheryl Sandberg e Adam Grant enfatizam que, "as mulheres (e os homens) alcançam a melhor performance e experimentam menos burnout quando respeitam as próprias necessidades e limites".

Como fugir da Síndrome de Burnout?
  1. Esqueça o lema: "Meu nome é trabalho". Descubra seus hábitos de prazer e coloque em prática, ex: ir ao cinema, ler um livro, brincar com os pets...
  2. Faça uma avaliação sobre seu trabalho. O que te atraiu nesse emprego e o que te mantém nele? 
  3. Seja qual for a motivação, foque no lado positivo e não no negativo, embora muitas vezes o segundo apareça em maior número.
  4. Procure novas chances no mercado de trabalho, ou até mesmo em outro setor da empresa. Fazer o que você realmente gosta (ou que te provoque menos exaustão) pode ser a solução.
  5. Fique atento aos sinais emitidos pelo seu corpo. Muitas vezes a exaustão pode ser sintomas de outras doenças como anemias ou distúrbios da tireóide. Na dúvida, procure seu médico. Se for estresse, desacelere e faça uma coisa de cada vez.
  6. Alimente-se bem e com horários regulares, sem exagerar no álcool e na cafeína. Dormir o necessário fará você acordar reanimada.
  7. Pratique exercício físico pois ele ativa a circulação, estimula o metabolismo, energiza e ajuda a administrar o estresse.
  8. Conte com familiares e amigos.
"Seu trabalho é apenas um trabalho, você não pode depositar toda a sua vida nele", diz Rossi, e ela ainda complementa: "Tenha outras fontes de felicidade e você verá que será mais fácil tomar qualquer decisão, mesmo que seja pedir demissão e buscar outra oportunidade".


A saúde é o bem mais precioso que temos, e precisamos dela para realizar qualquer atividade do cotidiano. Então reconheça quando é hora de dar uma pausa, reavalie seu dia a dia, e faça o que realmente te dá prazer (isso inclui o trabalho também). Sei que nem sempre conseguimos trabalhar com o que realmente gostamos, mas quando isso for possível não perca a chance, assim o seu dia a dia irá se tornar mais leve e menos estressante.

Até a próxima!

Leia também:
Esgotamento Mental: Causas e Sintomas... Como lidar com essa situação?!

Fonte:
Viva Bem, Claudia, Drauzio
Imagem: Reprodução


RENATA NICOLAU - 42 anos, mãe, formada em educação física e estética. Apaixonada por cosméticos e tudo relacionado à beleza. Ama aprender, ensinar e compartilhar conhecimentos. Está em busca um estilo de vida saudável, minimalista e com equilíbrio. Sua mais recente paixão é a meditação e o estudo sobre o subconsciente.




COMPARTILHE