Envelhecimento precoce da pele: Causas e Tratamentos

Na semana passada falei aqui no Blog sobre as manchas na pele, que um fator que incomoda muito as mulheres. Na pesquisa que fiz na Fanpage, em segundo lugar ficou o envelhecimento precoce, então não poderia deixar de falar sobre esse assunto também.

Esgotamento mental: Causas e sintomas... Como lidar com essa situação?!

Você já ouviu falar sobre esgotamento mental? Talvez seja mais conhecido como fadiga, estafa ou cansaço mental. Infelizmente muita gente pensa que a pessoa que passa por isso é fraca demais, que não consegue driblar algum problema ou momento da vida, que está com depressão (esse pode ser um caminho para chegar até ela) ou até mesmo que é frescura. Muito pelo contrário desse tipo de pensamento, a pessoa que chega a esse nível de cansaço foi forte demais durante a vida e acumulou em si uma carga de responsabilidades e sentimentos durante todo esse tempo, chegando ao limite de desabar.


Chegar nesse ponto de exaustão é completamente normal e compreensível atualmente, pois nossos dias estão cada vez mais acelerados e frenéticos. Uma grande parte da população, por exemplo, trabalha em frente ao computador, exigindo pensamento rápido, criatividade e empreendedorismo, dessa forma é muito fácil estar com o cérebro cansado. Pode-se dizer, segundo Sergio Klepacz - psiquiatra do Hospital Samaritano de São Paulo, que "o excesso de demanda da química necessária para manter o corpo e a mente ativados se "esgotam" em algum momento".

Klepacz ainda diz que, "quando há queda de substâncias importantes como o cortisol (um dos grandes responsáveis pela preparação do organismo para enfrentar os desafios do dia a dia e situações de perigo) e noradrenalina (neurotransmissor responsável pela sensação de motivação e de atenção), o resultado é a estafa, e a consequência inicial é: falta de atenção, dificuldade de memória, perda de concentração, pensamento mais lento, desânimo, alterações no sono, e claro, o cansaço (excessivo e crônico)."

Muitos pesquisadores afirmam que em muitos casos o cansaço mental é mais grave que o físico, pois além do dano emocional, ele pode vir acompanhado de dores no corpo, dores de cabeça e até problemas gastrointestinais (gastrites e úlceras). Como muitas vezes esse problema é ignorado, achamos que logo vai passar, se você não pisar no freio o cansaço vai se acumulando cada vez mais e as consequências ficam ainda mais graves.

Além dos problemas gastrointestinais que podem surgir, outros também são comuns, como: baixa de imunidade (resfriados e gripes constantes), alergias, queda de cabelo, hipertensão, bronquite, alterações menstruais. Pode-se ter também tensão muscular, dor lombar ou cervical e distúrbios do sono, segundo a psiquiatra Telma Ramos Trigo, da Associação Brasileira de Psiquiatria.

"A estafa ou esgotamento é o resultado de um estresse repetitivo e prolongado. A partir de certo ponto, isso passa a diminuir a produtividade e esgota nossa energia", diz Telma.

Então engana-se pensar que esse tipo de cansaço acontece do dia para noite, realmente ele é um acúmulo diário e o processo é lento, até o dia que caímos, física e mentalmente. A sensação do cansaço é que estamos ligados no automático, que tudo o que fazemos está sendo "empurrado com a barriga", que estamos fazendo porque precisa ser feito, mas a nossa real vontade é de não fazer, deixar para lá, mas daí vem o pensamento "se eu não fizer, quem vai fazer?", daí a gente vai e faz (e não para nunca).

As causas desse esgotamento psicológico são variadas, pode ser de uma entrega constante e excessiva, seja no trabalho, para os outros, num projeto novo, aos problemas do cotidiano e às tarefas do dia a dia. Em troca não recebemos praticamente nada para manter o equilíbrio. Não descansamos e relaxamos o suficiente, não passamos tempo de qualidade quando estamos sozinhos e não recebemos atenção, carinho e compreensão suficiente das pessoas ao nosso redor, pelo contrário, em alguns casos o que recebemos é cobrança dos outros, e muitas vezes de nós mesmos.


Outro problema que pode ocorrer desse esgotamento mental é a síndrome de burnout, também conhecida como síndrome do esgotamento profissional, que acontece quando o cérebro entra em processo de falência e já não consegue trabalhar direito. Em inglês, o termo burnout é definido como aquilo que deixou de funcionar por absoluta falta de energia (falarei sobre isso em outro post).



Quem é mais propenso ao esgotamento psicológico?

Qualquer pessoa está sujeita a ter o esgotamento, principalmente quando passamos por situações estressante, seja no pessoal ou profissional, porém há algumas características de personalidade que são mais propensas à exaustão:
  • Perfeccionismo: Geralmente exigem muito de si e acabam adicionando uma sobrecarga maior nos ombros, o que representa mais estresse no futuro.
  • Dificuldade para delegar: Pessoas que geralmente querem fazer tudo sozinha porque acham que ninguém está apto para aquela tarefa, ou que não farão tão bem quanto ela mesma faria.
  • Sensibilidade extrema: Pessoas que são muito empáticas e hipersensíveis são mais propensas à exaustão porque muitas vezes assumem problemas dos outros como se fossem os seus.
  • Incapacidade de relaxar: Devido às características do sistema nervoso, algumas pessoas acham mais difícil se desconectar e relaxar.

5 "regras" que se deve seguir para lidar com o esgotamento mental:
  1. Descanse: É preciso encontrar um equilíbrio entre trabalho e obrigações, tempo livre e descanso. Encontre um tempo para si, 15 minutos após as refeições por exemplo, 15 minutos meditando, ou sempre que precisar.
  2. Priorizar: Tem dias que brincamos dizendo que 24 horas é pouco tempo para tudo o que temos que fazer, mas na verdade devemos priorizar as coisas que são mais urgentes e importantes, e também dar importância àquelas que somos mais apaixonados, para evitar de preencher o dia com tarefas que geram estresse porque não gostamos de realizar.
  3. Demanda menos: É preciso cair na real e assumirmos que não somos super-heróis. Errar  ou adiar as coisas não vai fazer mal nenhum.
  4. Seja compassivo consigo mesmo: Assumir uma atitude mais positiva e compassiva também ajuda. Não se recrimine ou critique a si mesmo, essa atitude acrescentará mais estresse e desconforto na sua vida.
  5. Reencontre-se: É muito importante você reservar um espaço para estar sozinho com você mesmo, momento para respirar com facilidade e conectar-se com suas necessidades, sonhos e desejos. Recomendo alguns momentos de meditação diariamente, por experiência própria, ajuda muito.
É muito importante dormir bem e se alimentar adequadamente, assim como ter horas de lazer é essencial para uma boa qualidade de vida. Muitas vezes nos dedicamos demais ao trabalho e acabamos deixando de lado momentos importantes com a família, por exemplo.

Eu já tive esgotamento psicológico?!

Quem me acompanha nas redes sociais e Youtube sabe que no ano passado (2017) eu tive um período de exaustão por excesso de atividades. Eu sou daquele tipo de pessoa que detesta estar parada olhando o tempo passar (estou mais para "olhando para o nada e pensando em tudo" rssss), dessa forma vou "acumulando" afazeres e me mantendo ocupada desde a hora que acordo até a hora de dormir. Isso sem contar o que realmente preciso fazer como cuidar da casa, filho e cachorro. Enfim, todas as responsabilidades da casa estão comigo, até que chegou uma hora que tive que parar e me desligar de algumas coisas. 

Nessa fase eu estava começando a meditar, ainda não fazia parte da minha rotina diária, de vez em quando eu resolvia que queria sentar e respirar, queria mergulhar em mim mesma, e era o que eu fazia. Até que virou hábito, e tem me feito muito bem.

Sempre fui muito positiva e certas coisas (e doenças) eu rejeito na minha vida, então já se torna mais fácil a recuperação. Com esse meu pensamento eu não cheguei a ir no médico, me informei o que poderia ser feito num processo mais natural, sem precisar de remédios de farmácia porque prefiro outros métodos, e foi o que eu fiz. Mudei algumas coisas na minha rotina, diminui meu ritmo, tomei algumas vitaminas naturais e passado algum tempo já estava muito melhor. 

E daí o que a gente faz? Tenta abraçar o mundo sozinha de novo rsssss... A gente tomba mas não aprende. Às vezes nem é por falta de informação, é mesmo porque aquele é o seu estilo de vida. Eu amo estar envolvida em vários projetos, estar fazendo mil coisas ao mesmo tempo, e eu amo tudo o que eu faço, mas preciso ter a consciência que é necessário ir mais devagar e que tem pessoas que precisam de mim no meu melhor estado. 

Por isso hoje estou me reencontrando novamente, e dando prioridade às outras coisas na vida, como simplesmente não fazer nada quando eu julgar necessário, e quando meu corpo e minha mente avisarem que é o momento de parar um pouco, além de me dedicar a coisas que eu realmente amo fazer. Estou eliminando da minha rotina tudo o que me desgasta e suga minhas energias (em termos gerais). 

Tudo é tão corrido todos os dias, a gente acorda, mal pisca já acabou mais um dia, e não quero viver assim nessa correria, por mais que eu ame rotina agitada, quero qualidade de vida para mim e para todos da minha casa.

Toda vez que eu acho necessário parar, eu paro. Toda vez que eu acho necessário mudar, eu mudo. Eu já fiz várias vezes isso e recomendo que você também faça se VOCÊ sentir que é necessário, pois SÓ VOCÊ está sentindo os efeitos da exaustão, SÓ VOCÊ conhece seus problemas, então NINGUÉM pode interferir na sua vida e nas suas escolhas.

É terrível você estar querendo fazer as suas tarefas rotineiras e sentir um peso te puxando para baixo (não no sentido depressivo, mas no sentido de cansaço físico), impedindo que você as realize como sempre fez. Você tentar se concentrar numa tarefa simples, ou apenas tentar lembrar no que você estava pensando segundos atrás e não conseguir. Mas o pior de tudo isso é ser cobrada porque você não está fazendo, e não é porque você não quer, é porque você não consegue.

Entenda!!! Ninguém... Absolutamente ninguém tem o direito de exigir mais do que você pode oferecer. Se naquele momento você não pode fazer, você não faz, e ponto. A sua saúde física e mental é o mais importante para você. Portanto, quando for preciso parar, PARE e RESPIRE. Como costumo dizer, é preferível devagar e sempre, do que nunca mais.

E você, já passou por um esgotamento mental? Comente como foi a sua experiência.

E lembre-se, cada caso é um caso, se for preciso busque ajuda profissional porque pode ser preciso fazer uso de medicamentos.

Até a próxima!


Fontes:
Uol Notícias - Ciência e Saúde

Imagens: Reprodução



RENATA NICOLAU - 42 anos, mãe, formada em educação física e estética. Apaixonada por cosméticos e tudo relacionado à beleza. Ama aprender, ensinar e compartilhar conhecimentos. Está em busca um estilo de vida saudável, minimalista e com equilíbrio. Sua mais recente paixão é a meditação e o estudo sobre o subconsciente.




COMPARTILHE